Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘apontamento’

20130223-002858.jpg
Foto: http://www.loc.gov/folklife/lomax/spain/images/MurciaSpain.jpg

Algures no tempo, há mais de 25 anos, eu e alguns colegas de escola tentávamos escrever canções. Lembro-me de um dia irmos para um sótão catita que o Miguel (o Cami), e o irmão, tinha e de tentarmos fazer uma canção; saía uma coisa à xutos, com todos os acordes que sabíamos; menos Fá, que era difícil para nós!
O primeiro texto que fiz, expressamente para ser uma canção, e que aconteceu ser musicada independentemente pelo meu amigo “john”, foi este “contador de historias”!
Era uma canção catita…
O século já não é o mesmo, mas o texto ainda me parece actual.

Contador de histórias

Era uma vez um mundo
Que ouvia as minhas histórias
Semeava com elas sonhos
Cheios de fantasia

Mas isso foi há muito, muito tempo
E agora, tudo mudou
Já ninguém quer saber de fantasia
Toda a gente esqueceu o que eu sou!

Sou um contador de histórias
Perdido no tempo de hoje
Conto façanhas e vitórias
Conto contos que ninguém ouve

É duro, viver no século vinte
Quando já se acabaram as fadas
Quando já se vive no limite
De umas vidas maquinadas

É duro, estou só e sozinho
que espécie de histórias as de agora?
São histórias só de desatino
Sem cor, sem brilho e sem história

Sou um contador de histórias
Perdido no tempo de hoje
Conto façanhas e vitórias
Conto contos que ninguém ouve

8 Novembro 1987
Paulo Nogueira

Read Full Post »

S. João da Cruz

Na secção de música da revista Actual do semanário Expresso #1917 de 25 de Julho 2009, deparei com um texto sobre o projecto Dark Night of The Soul…
“Este disco não existe”, escreve João Lisboa, o autor da crónica. O objecto de arte a que se refere apenas contém fotografias, tanto quanto percebi assinadas por David Lynch e inclui um CD virgem (parece que a obra em causa esclarece desde logo que tal acontece por motivos legais).
A crónica esclarece que podemos ouvir o album por completo em http://www.npr.org “sem sujar as mãos”… e pode mesmo, embora se possa demorar um pouco a perceber como… eu fiz um busca no sítio npr.org pelo nome do projecto “Dark Night of the Soul” e cheguei a esta ligação.
O que me trouxe a escrever esta crónica e a falar nesta obra sui generis (não tivesse David Lynch a ela associado) foi o pormenor citado por João Lisboa, de o título “dark night of the soul” se inspirou em “la noche oscuraa del alma”, do místico S. João da cruz!
Ora, aconteceu que pouco antes de ler esta secção do semanário tinha visto um programa na RTP 2 sobre o quadro de Dali de 1951 chamado… cristo de S. João da Cruz!
Senti-me profundamente ignorante… E de facto, ou sou profundamente ignorante ou estou só perante uma grande coincidência de no mesmo dia dar de caras com duas referências distintas a um frade espanhol do século XVI que foi santificado pela igreja católica….

Read Full Post »